quinta-feira, 26 de julho de 2012

Seis são mortos em quatro horas na zona norte de São Paulo

Polícia isola local onde ao menos três pessoas morreram em uma chacina na Vila Nova Galvão, zona norte de SP


Seis pessoas foram mortas a tiros, na zona norte de São Paulo, entre a noite ontem (25) e a madrugada desta quinta-feira. Três vítimas permanecem internadas em hospitais da região.

Por volta das 21h30, três pessoas foram mortas em uma chacina na rua Morro do Livramento, na Vila Nova Galvão. Homens em duas motos dispararam vários tiros contra ao menos quatro adultos e um adolescente dentro de um lava-rápido e estacionamento.
As vítimas foram levadas ao pronto-socorro do hospital São Luiz Gonzaga, mas três delas não resistiram aos ferimentos e morreram. As outras duas permanecem internadas.
O caso é investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

Dois homens foram mortos a tiros na rua das Flores, na região de Tremembé, por volta da 1h. Outro homem foi morto com ao menos seis tiros na rua Águas de Chapecó, na região do Jaçanã, por volta da 1h30. Ele morreu no local.
Segundo a Polícia Militar, nenhum suspeito foi preso.

Polícia na região em que funciona lava-rápido atacado; três pessoas morreram e duas ficaram ferida no local

PM BALEADO
Na noite do último dia 23, o soldado Anderson Andrade de Sales, 28, da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), levou três tiros de fuzil quando voltava para sua casa, no Jaçanã. Nenhum suspeito foi preso.
HOMICÍDIOS
Nesta terça-feira (25), a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo divulgou os dados da violência no Estado no primeiro semestre do ano. De acordo com as estatísticas, a capital registrou um novo aumento no número de homicídios --o quarto seguido-- e encerrou o primeiro semestre com alta de 21,8% em relação ao mesmo período do ano passado.
Foram registrados 586 casos de homicídio doloso (com intenção) de janeiro a junho, contra 482 no mesmo período de 2011. O número de mortos chegou a 622 --aumento de 21,2% (já que há ocorrências com mais de uma vítima, como chacinas).
Considerando apenas o mês de junho, a alta no número de casos foi de 47% --conformeantecipado pela Folha-- e no número de vítimas foi de 49% --134 morreram assassinadas em 2012 contra 90 em junho do ano passado.
As estatísticas corroboram a onda de violência que ocorre na Grande São Paulo desde o fim de junho, com ataques a policiais e bases da Polícia Militar, incêndios em ônibus e mortes de suspeitos em supostos confrontos com a polícia.
Junho foi o mês mais violento na capital paulista ao menos dos últimos dois anos --só perde para março de 2010, quando foram registrados 125 casos de homicídio.
A Secretaria da Segurança Pública não comentou o crescimento dos homicídios em São Paulo. Na divulgação dos dados, destacou que houve queda nos casos de roubo a banco, sequestros e furtos.
No Estado, houve aumento de 8,4% nos casos de homicídio no primeiro semestre (2.183 casos contra 2.014 no ano passado) e 8,7% no número de vítimas (2.309 contra 2.123).
Nos 30 dias de junho, 434 pessoas foram vítimas de homicídios dolosos (intencionais) no Estado --uma média de 14 mortes por dia. No mesmo mês de 2011, foram 324 -média diária de dez mortos.

Fonte: Folha