Clínicas privadas esperam vacina de Covid-19 só na segunda metade de 2021

Clínicas privadas esperam vacina de Covid-19 só na segunda metade de 2021

Na disputa pela vacina da Covid-19 em 2021, ter dinheiro na mão deve fazer pouca diferença no Brasil, pelo menos nos primeiros meses. Por conta da demanda do setor público, clínicas particulares de imunização só esperam começar a receber as primeiras doses do produto somente no segundo semestre do ano, e isso num cenário otimista.

A estimativa é da ABCVAC (Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas), que representa o segmento privado do setor. Segundo Márcia Faria Rodrigues, da diretoria científica da entidade, não faz sentido, nem é possível, travar uma disputa agora com os governos.

— A prioridade mundial neste momento é direcionar a vacina para os grupos de risco. Se você distribui doses agora para as clínicas privadas, como garante que a vacina vai chegar primeiro em quem realmente precisa?

A médica afirma também que antes de as campanhas de vacinação começarem e o cenário público ficar mais claro, não é possível nem saber quais fabricantes terão excedente de vacina para clínicas privadas. O governo federal anunciou na úlitma terça-feira (2) que a campanha de vacinação do Brasil deve começar num grupo restrito que inclui profissionais de saúde e idosos acima de 75 anos.

Das dez vacinas que estão em fase final de testes mundo afora, apenas uma já obteve autorização balizada por resultados de eficácia (a Pfizer, no Reino Unido), e ainda não é possível saber quais serão os imunizantes disponíveis para o setor privado após os governos comprarem seus lotes.

— Achamos que é num segundo momento, com a aprovação de mais vacinas, que a gente pode ter direcionamento para as clínicas particulares — diz Márcia. — Esperamos isso no segundo semestre de 2021, ou só mesmo em 2022. Vai depender da capacidade dos produtores.

O GLOBO