Jogos Olímpicos serão entre março e abril de 2021, diz mídia japonesa

Jogos Olímpicos serão entre março e abril de 2021, diz mídia japonesa
Foto: ISSEI KATO / REUTERS

O Comitê Olímpico Internacional (COI) montou uma força-tarefa para estudar as possíveis novas datas para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Resolver esse quebra-cabeça logístico, porém, não será fácil. A entidade planeja tomar uma decisão sobre a remarcação em três semanas, de acordo com relatos da mídia japonesa nesta sexta-feira, e o evento deve acontecer entre março e abril de 2021.

Segundo os jornais locais, esse período parece uma boa opção no momento devido à disponibilidade do calendário. Na última terça-feira, o COI e os organizadores do Japão concordaram em adiar as Olimpíadas para o próximo ano, antes da primaveira (no hemisfério norte), por causa da pandemia do coronavírus.

O periódico japonês Nikkei, afirma que o órgão internacional tomará uma decisão final sobre as novas datas após consultar os organizadores japoneses e as federações esportivas envolvidas. As partes analisaram as diferentes possibilidades em uma teleconferência realizada na quinta-feira, na qual participou o presidente do COI, Thomas Bach.

A entidade informou nesta sexta-feira, que todos os atletas que se classificaram para as Olimpíadas de Tóquio 2020 manterão suas vagas para os Jogos no próximo ano.

Entre os 11.000 atletas esperados para competir em Tóquio, aqueles que já haviam conquistado sua vaga estão garantidos. O COI também disse que a quantidade de vagas alocadas para cada esporte nos Jogos permanecerá a mesma no próximo ano.

“Os 57% qualificados permanecem com as vagas e o objetivo é manter as mesmas cotas de atletas nos diferentes esportes”, afirmou uma autoridade do COI.

A pandemia causou estragos nas programações esportivas e forçou o cancelamento de muitas eliminatórias olímpicas em diversas modalidades. Os atletas também estão com dificuldades para treinar devido a medidas de restrição tomadas para impedir a propagação do vírus.

Embora tenha sido um grande golpe para o Japão, que investiu 12 bilhões de dólares na preparação para os Jogos, a decisão de adiar foi um alívio para milhares de atletas preocupados com o treinamento, num momento em que grande parte do mundo adota o isolamento para combater uma doença que matou milhares de pessoas.

O Globo