Presidente do América/RN afirma que clube ‘passou do limite’

Presidente do América/RN afirma que clube ‘passou do limite’
Crédito da foto: José Aldenir - Agora RN/Leonardo Bezerra espera pelo menos que o Governo dê uma previsão para os clubes se planejarem

Nesta terça-feira, 26, o futebol potiguar está completando 70 dias de paralisação, após o primeiro decreto assinado em 18 de marco pelo Governo do Estado, recomendando o isolamento social e suspendendo várias atividades, entre elas o futebol. Até o dia 4 de junho, quando encerrará o terceiro decreto (segundo foi assinado no dia 1º de abril), não se fala na retomada do esporte por conta da pandemia do novo coronavírus.

Preocupado com a situação, o presidente do América de Natal, Leonardo Bezerra, afirmou que o clube “está no limite” e teme que possa tomar medidas severas caso o futebol não retorne em junho. “Já passou do limite. A partir do dia 4, se não voltarmos, eu convoco reunião emergencial com o Conselho Deliberativo para tomarmos medidas drásticas para no futuro o América não se acabar”, asseverou o dirigente em entrevista à FM 98 de Natal.

O dirigente americano defende o retorno das atividades de forma segura e responsável, com base em rígido protocolo médico, mas mesmo assim o Governo do Estado “dá de ombros” com a situação do futebol, sem se importar com os problemas que os clubes vêm enfrentando com toda essa crise.

“Eu vejo de fora como cidadão norte-riograndense que o Governo do Estado não está muito preocupado com a situação do futebol, que é uma ferramenta tão importante nesse momento de pandemia no combate a depressão. Nenhuma atividade no mundo aguenta dois, três meses só com despesa e sem receita nenhuma. Realmente, o América está com água pelo pescoço”, afirmou ele, referindo-se aos benefícios à saúde que o esporte pode permitir com sua volta.

O presidente americano espera que o Governo pelo menos dê uma previsão de retorno para que os clubes possam se planejar e evitar redução de despesas.

“O Governo precisa pelo menos dar uma previsão de uma possível volta, se em agosto ou setembro, e baseado nisso o América vai ao Sindicato informando que não pode cumprir o contrato com os atletas, porque está impedido de realizar as atividades. Com isso, o clube vai comprimir as despesas, pois se não há receita, também não podemos ter grandes despesas. Pelo menos, isso nos ajudaria muito”, disse.

Matéria completa na edição impressa do Jornal de Fato desta terça-feira, 26

 

DEFATO.COM