Quarta-feira de Cinzas marca início da Quaresma e da Campanha da Fraternidade

Campanha da Fraternidade vai ser lançada no Brasil nesta quarta-feira, dia 26 de fevereiro, mas em Mossoró a divulgação ocorre no dia 8 de março, na missa das 9h, na catedral de Santa Luzia. Diocese realiza duas celebrações de Imposição de Cinzas

Quarta-feira de Cinzas marca início da Quaresma e da Campanha da Fraternidade
Cartaz da Campnha da Fraternidade 2020

Por Amina Costa - Repórter do JORNAL DE FATO

A quarta-feira de Cinzas, que neste ano ocorre no dia 26 de fevereiro, marca o início da Quaresma, tempo de preparação para a Páscoa. O período é muito importante para os cristãos, pois é marcado por oração, esmola, perdão, reconciliação, penitência, caridade e conversão. O marco inicial da Quaresma ocorre com a missa da Imposição das Cinzas, que neste ano ocorre em dois horários: às 17h e às 19h, na catedral de Santa Luzia.

A Missa de Cinzas marca também a abertura da Campanha da Fraternidade 2020, que neste ano traz o tema “Fraternidade e Vida: Dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele (Lc. 10,33-34)”. A Campanha da Fraternidade é promovida pela Igreja Católica, e será realizada em todas as comunidades, paróquias, dioceses, escolas, universidades, grupos, congregações e espaços católicos do Brasil.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) informa que “a Campanha da Fraternidade deste ano tem o objetivo de conscientizar, à luz da palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso, que se traduz em relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta, nossa casa comum”.

“Realizada durante a Quaresma, tempo litúrgico em que a Igreja faz um convite mais intenso ao coração dos cristãos à conversão a Cristo e a Deus, a Campanha da Fraternidade no Brasil tem o sentido de auxiliar na busca da transformação e santificação por meio de uma realidade que se apresenta para ser refletida, meditada e rezada”, informa a CNBB sobre a importância da campanha.

Em Mossoró, a Campanha da Fraternidade será anunciada no dia 8 de março, pelo bispo dom Mariano Manzana, na missa das 9h na catedral de Santa Luzia. Posteriormente, dom Mariano dará os detalhes sobre como será a Campanha da Fraternidade na Diocese de Mossoró. Ele se reunirá com a imprensa e falará sobre o tema e o lema escolhidos para este ano, bem como sobre a finalidade e necessidade da Campanha da Fraternidade.

Campanha da Fraternidade 2020 visa estimular a prática da caridade

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Brasil era o 9° país mais desigual do planeta em distribuição de renda e 11,7 mil crianças e adolescentes foram vítimas de homicídio. Esses dados demonstram que a vida está sendo ameaçada de várias formas e em muitas frentes e motivaram a CNBB a dedicar a Campanha da Fraternidade ao cuidado com a vida.

Os exemplos do papa Francisco, que conclamou a Igreja, logo no início de seu pontificado, a vencer a “globalização da indiferença” e de Santa Dulce dos Pobres, canonizada pelo santo padre em outubro de 2019, serão apresentados como sinais da presença samaritana na realidade brasileira.

A campanha, por meio de suas peças de estudo, reflexão, divulgação e mobilização (vídeos, texto-base, subsídios e textos pastorais voltados para grupos de jovens, catequese, site e atuação em diferentes plataformas das redes sociais, aplicativo para celular, cartazes, camisetas, entre outros), vai estimular ações nas famílias, nas comunidades e na sociedade brasileira.

Na cerimônia de lançamento da CF 2020, a CNBB recebe uma relíquia da santa Dulce dos Pobres e, em consonância com o seu lema que fala do cuidado e do amor ao próximo, abriga também a exposição fotográfica “Do Amor Ninguém Foge”. A exposição já percorreu as cidades do Rio de Janeiro (RJ), São João Del Rei (MG) e Belo Horizonte (MG) e países como Itália, Portugal, Peru e Espanha.

Diocese realiza duas missas de Imposição de Cinzas

Na quarta-feira de Cinzas (26), a Diocese de Mossoró realizará duas missas na catedral de Santa Luzia. A primeira será às 17h, presidida pelo pároco da catedral, padre Flávio Augusto; e a segunda, às 19h, presidida pelo bispo diocesano dom Mariano Manzana e concelebrada por outros sacerdotes.

A celebração da Imposição das Cinzas tem um grande significado para os cristãos. As cinzas são utilizadas liturgicamente desde o Antigo Testamento, como pode ser observado em algumas passagens bíblicas que narram ocasiões em que cristãos jogavam cinzas na cabeça para demonstrar luto, penitência ou dor que estavam vivenciando.

A imposição das cinzas ocorre desde o século X. De acordo com o Missal Romano, “ao longo da Missa de Quarta-feira de Cinzas, mais precisamente após a homilia, o celebrante abençoa as cinzas, que provêm da queima dos ramos abençoados no Domingo de Ramos do ano anterior, aspergindo água benta sobre elas. Com as cinzas úmidas, o padre, então, marca a testa ou a cabeça de cada fiel, pronunciando uma dessas frases: ‘Lembra-te que és pó e que ao pó voltarás’ ou ‘Convertei-vos e crede no Evangelho’. Esse gesto traz a reflexão sobre a origem e o fim de cada um de nós e também mostra a importância e a urgência de nossa conversão, de renascermos das cinzas, de deixarmos para traz todo o pecado, pois não sabemos quando vamos partir dessa vida.”